Renovo

Gomes   10 de abril de 2017   Nenhum comentário em Renovo
Um dia a vida me bateu com tanta força que me ensinou a resistir,
por vezes mentiram para mim de tal maneira que doeu muito
e então eu aprendi a seguir em frente somente com a verdade,
um dia faltou quem eu nunca imaginei que iria tão cedo
e entendi o que é saudade
Pessoas me enganaram, porque eu confiei e isso fez que eu
continue a acreditar que as palavras devem ser cumpridas e os atos assumidos.
As vezes, é preciso encerrar um ciclo mesmo que incompleto,
só para começar novamente do início, com perfeição.
Porque o melhor guerreiro não é quem sempre triunfa,
mas sim quem volta à batalha sem receios, sem medo.

Feliz 2017

Gomes   24 de março de 2017   Nenhum comentário em Feliz 2017

Pois então, estou voltando.  Blog Janela Aberta um pouco abandonado, a luta pela sobrevivência tolhe muitas coisas, escrever no blog é uma delas. Mas eu vou insistindo, estes dias até falei para uma gatinha linda, a Vera Helena, que este blog já foi famoso, muitos posts e muitos visitantes.  Mas eu vou em frente, afinal é mais um blog para mim mesmo, não é?.  E como estou voltando, uma novidade nos alfarrábios digitais para Abulafia.  Estou com um projetinho pessoal no face, de uma foto por dia por 365 dias, e me deparei com um cavalo amarrado na frente da casa.  Na verdade era uma égua, da raça Pampa.  Linda.  Eu tirei a foto para o face, fiquei olhando para aquele bonito animal e veio na minha cabeça estes versos, que coloquei em minha página no site Recanto das Letras, se quiser conhecer este e alguns dos meus textos, (não esqueça de comentar, navegue por outros textos)  clique aqui

V I S I T A

Apeie, vivente
se achegue aqui se usa saudação
aqui a prosa é olhando nos olhos
não tenho receios, nem nada a esconder
aqui ando de rédea solta.

Sou este que vês, sem emboscadas
apesar de todas a peças que a vida me armou
de todas as vicissitudes que me foram impostas
posso ainda afirmar,
sou livre, íntegro e de bons costumes.

se achegue, puxe um cepo
aqui tenho dois bons cuscos
que são minhas alegrias
minha chinoca amada desta viagem já se foi,
a Lúcia, conheceu minha Doçura?
foi se encontrar com o Patrão Mor,
e só me restou os dois neste viver.

se achegue
aqui sou cevador, sou bagual
aqui tem capilé se trouxer os piás
e tem bom vinho lá dos lados de Caxias
mas se quiser tenho amargo de erva boa
preparado na minha cuia uruguaia
e se com fome vier
sei preparar gostoso carreteiro
com manta de bom charque, sem igual

se achegue com os sinais
e conta da tua lida,
que a tarde é gostosa de final do verão
e a fresca atrai uma boa prosa
contamos do que fazemos,
do que somos e conhecemos
e até erro e lamento
dos traços que fez o Criador
te achega homem, aqui tem amigo e irmão
te achega mulher, que aqui tem respeito e amor
porque o que somos, é bem viver a vida
e só daqui levamos com o Espírito
o Saber e o Sentimento

(Roberto Nascimento Gomes – 27/02/2017, Araucária-PR)

Copyright 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
http://www.recantodasletras.com.br/trovas/5925699


janelaaberta

BLOG JANELA ABERTA

O Blog Janela Aberta é gentilmente hospedado por Hostinger clique aqui para saber mais

Foto do dia, Aura

Gomes   2 de dezembro de 2016   Nenhum comentário em Foto do dia, Aura

harley33a harley33Já vi auras humanas, já vi seres que não estavam presentes fisicamente, mas apenas seu corpo astral. Mas recentemente fotografei a aura de meu cachorrinho Harley. Ver cores em volta do corpo humano independe de minha vontade, acontece espontânea e raramente, sem qualquer aviso. Vejo durante alguns segundos ou enquanto a pessoa estiver em meu campo de visão, e digo ainda que pode ser pessoa viva ou seres de outras dimensões. Mas nunca tinha visto em animais, até fotografar meu cachorrinho Harley.  Na primeira foto Harley de costas para mim, olhando o movimento, então eu o chamei, ele virou-se para mim e tcharammm…  Aura.


janelaaberta

BLOG JANELA ABERTA

O Blog Janela Aberta é gentilmente hospedado por Hostinger clique aqui para saber mais

Sampa

Gomes   27 de novembro de 2016   Nenhum comentário em Sampa

sampa3Na sexta feira, 25, fui até Sampa, acompanhando meu sobrinho advogado, que foi prestar exames para Pós Graduação.  Passei na casa onde morei com Minha Amada Lúcia, passei na frente dos restaurantes que costumávamos frequentar, Cartório, Arte Mahikari, Fórum,  nossa sentimentos aflorados, ou como a Minha Doçura costumava falar, uma cachoeira de emoções. Revi meu amigo, Dr. Rodolfo.   Fomos de carro, um Uno Mille, que era simplesmente o máximo, pense em economia, automóvel firme, confiável, dirigido com maestria pelo meu Compadre Luciano. Esse carro é o Uno Mille, só falta ele um pouquinho de conforto, só.  Pensa em um automóvel econômico e firme.  Mas a viagem foi de muitas emoções, fica o registro com algumas fotos, eu estava no banco de trás.
sampa1

janelaaberta

BLOG JANELA ABERTA

O Blog Janela Aberta é gentilmente hospedado por Hostinger clique aqui para saber mais

Sefer ha Zohar

Gomes   27 de novembro de 2016   Nenhum comentário em Sefer ha Zohar

IMG_20161124_155010710_HDRChegou, O Livro do Esplendor ou Sêfer ha Zohar. Estou atrasado com o post, o livro chegou dia 24, dia 25 fui a Sampa, dia 26 eu dormi.

Mas meu exemplar, gentil e gratuitamente enviado pela Polar Editora http://polareditorial.com.br/, finalmente chegou. Gratidão imensa à Polar Editora, muito contente.

O Sêfer ha-Zohar (Livro do Esplendor) apareceu na Espanha no fim do século XIII e é a obra literária mais importante da Cabalá, a tradição mística judaica. Como diz Gershom Scholem, um dos maiores especialistas nessa área, nenhuma outra obra “teve uma influência e um sucesso sequer aproximadamente similares ao seu. […] uma fonte de doutrina e revelação igual em autoridade à Bíblia e ao Talmud, e com o mesmo grau canônico: o que é uma prerrogativa que não pode ser postulada por nenhuma outra obra da literatura judaica.”

O Zohar foi escrito na forma de uma longa novela em que grandes rabinos do século II discutem e explicam os segredos dos cinco livros de Moisés (a Torá) e de outros livros das Escrituras Sagradas. Dentre esses grandes rabinos, destaca-se a figura de Shimon ben Yochai, um dos maiores santos da história do judaísmo.

O Zohar (em hebraico זהר, “esplendor”) é considerado como um dos trabalhos mais importantes da Cabalá, no misticismo judaico. E faz parte dos livros que seriam canônicos para os judeus.

Trata-se de comentários místicos sobre a Torá (os cinco livros de Moisés) escritos em aramaico e hebraico medieval. O Zohar contém uma discussão mística sobre a natureza de Deus e considerações sobre a origem e estrutura do universo, a natureza das almas, pecado, redenção, o bem e o mal, e diversos temas relacionados.

O Zohar não é um livro, mas um grupo de livros. Estes livros incluem interpretações bíblicas assim como matérias sobre teologia, teosofia, cosmogonia mística, psicologia mística, e também o que alguns poderiam chamar de antropologia.

O Zohar teria aparecido primeiro na Espanha, no século XIII, e foi publicado por um escritor judeu, o rabino Moisés de León (Moshe ben Shem-Tov). De León atribuía o trabalho a um rabino do século II, Shimon bar Yochai, que foi uma verdadeira lenda judaica durante a época da perseguição romana. Dizia-se que o rabino Shimon ter-se-ia escondido em uma caverna por 13 anos, estudando a Torá com seu filho, Eleazar, e que, durante esse tempo, o rabino fora inspirado por Deus para escrever o Zohar. A obra teria permanecido oculta durante muitos séculos, tendo sido publicado somente no Século XIII, por Moshe de León.

Porém, um historiador do século XX, Gershom Scholem, com base em contos contemporâneos de De León e em evidências contidas nos textos do Zohar (sintaxes do idioma espanhol, por exemplo) concluiu que De León teria sido o seu verdadeiro autor. As suspeitas surgiram pelo fato de o Zohar se referir a eventos históricos de um período pós-talmúdico, embora supostamente o texto fosse de uma época anterior. Isto fez com que o autoria fosse questionada desde o início. Segundo a tradição, após a morte de Moisés de León, um homem rico de Ávila, chamado Joseph, ofereceu à viúva de Moisés de León – que não tinha nenhuma forma de sustento, após o falecimento do marido – uma grande soma de dinheiro pelo original da obra, do qual seu marido havia feito uma cópia. Então, ela teria confessado que seu marido era mesmo o autor do trabalho e que, por várias vezes, ela havia perguntado o porquê de ele creditar os próprios ensinamentos a outro. O marido sempre respondia que as doutrinas de Shimon bar Yochai, se colocadas publicamente, poderiam ser um trabalho milagroso e também uma rica fonte de lucros.  Fiz pesquisas na Wikipédia, a Enciclopédia Livre.

janelaaberta

BLOG JANELA ABERTA

O Blog Janela Aberta é gentilmente hospedado por Hostinger clique aqui para saber mais

Encontro das Águas

Gomes   18 de novembro de 2016   Nenhum comentário em Encontro das Águas

Já andei por este mundão, já estive pelo Nordeste, pelo Norte, pelo extremo Sul, só faltou eu ir com meu Amor para o paraíso de Fernando de Noronha.  Por duas ocasiões estivemos, Lúcia e eu para ir até Noronha mas acabamos não indo lá.  Uma pena.  Mas sem deprê, hoje amiga Heyne me enviou um poema lindo, que fala sobre Manaus e os rios amazonenses. Estive com o povo do Jacques Cousteau, quando estiveram trabalhando nos rios Guaporé e Madeira em Rondônia e Solimôes, Negro e Amazonas no Estado com nome deste último.  Andei por esta região, amei conhecer o povo do Calypso. Estive tão perto do Calypso mas não cheguei a entrar nele.   Hoje tenho duas amigas que moram em Manaus, que aliás amei tbm conhecer.  A amiga Heyne, que me enviou o poema abaixo, e uma amiga que segurei no colo quando bebêzinha, a Larissa Ikino Hidalgo, na verdade sou amigo dos pais dela  🙂 Bom, a Dra. Larissa, que é médica pediatra, adotou Manaus para viver.  Gostei muito de Manaus , lembro que fiquei pelo menos duas vezes no Hotel Ariaú.  Vi a pororoca, vi as águas dos rios Negro e Solimões que não se misturam, O fenômeno visualizado na água dos rios Negro e Solimões é conhecido como Encontro das Águas, e consiste na confluência das águas pretas do Rio Negro com as águas barrentas do Rio Solimões que correm, uma ao lado da outra, em um percurso de 6 km, sem se misturarem em nenhum momento até chegarem ao Majestoso Rio Amazonas.rio-negro-e-solimoesO Rio Negro tem temperatura perto de 28º e corre a 2 km/h e carrega consigo uma quantidade grande de matéria orgânica proveniente de sua nascente, lá na Colômbia, o que, aliás, faz com que suas águas sejam escuras, o Rio Solimões possui 22º C, corre com 4 a 6 km/h e traz de sua nascente, nos Andes Peruanos, uma água barrenta formada pela concentração de sedimentos vindos do processo de erosão dos solos vulcânicos. (Este último parágrafo eu copiei na web e não lembro mais de onde peguei).  Mas chega de falatório, vamos ao belo poema de Quintino Cunha, que dá nome à este post e que me foi presenteado pela amiga Heyne.

Encontro das Águas

Vê bem, Maria aqui se cruzam: este
É o Rio Negro, aquele é o Solimões.
Vê bem como este contra aquele investe,
como as saudades com as recordações.

Vê como se separam duas águas,
Que se querem reunir, mas visualmente;
É um coração que quer reunir as mágoas
De um passado, às venturas de um presente.

É um simulacro só, que as águas donas
D’esta região não seguem o curso adverso,
Todas convergem para o Amazonas,
O real rei dos rios do Universo;

Para o velho Amazonas, Soberano
Que, no solo brasílio, tem o Paço;
Para o Amazonas, que nasceu humano,
Porque afinal é filho de um abraço!

Olha esta água, que é negra como tinta.
Posta nas mãos, é alva que faz gosto;
Dá por visto o nanquim com que se pinta,
Nos olhos, a paisagem de um desgosto.

Aquela outra parece amarelaça,
Muito, no entanto é também limpa, engana:
É direito a virtude quando passa
Pela flexível porta da choupana.

Que profundeza extraordinária, imensa,
Que profundeza, mais que desconforme!
Este navio é uma estrela, suspensa
Neste céu d’água, brutalmente enorme.

Se estes dois rios fôssemos, Maria,
Todas as vezes que nos encontramos,
Que Amazonas de amor não sairia
De mim, de ti, de nós que nos amamos!

Quintino Cunha.

janelaaberta

BLOG JANELA ABERTA

O Blog Janela Aberta é gentilmente hospedado por Hostinger clique aqui para saber mais


A Cobra vai Fumar

Gomes   3 de novembro de 2016   Nenhum comentário em A Cobra vai Fumar

Hoje, em Curitiba A COBRA VAI FUMAR. Não gosto nem um pouco deste tipo de música e não recrimino quem curte, mas sou um aficionado pela Segunda Guerra Mundial, mais especificamente por alguns assuntos, Aviação de Caça (nossos pilotos heróis com seus P47 Thunderbolt do 1º Grupo de Aviação de Caça Esquadrão Jambock e P40 Kittyhawk do 1º/14º Grupo de Aviação – Esquadrão “Pampa”; e por Band of Brothers (tanto a série de Tom Hanks e Steven Spielberg, como os heróis da 101ª Divisão Aerotransportada do Exército dos Estados Unidos; pelos nossos Pracinhas da FEB A COBRA VAI FUMAR no escudo), mas como o assunto é interessante, fala da História dos nossos Pracinhas na Campanha da Itália, estou postando. A Cobra vai Fumar, hoje em Curitiba, com a banda Sabaton e a música Smoking Snake. Repito, pessoalmente não gosto deste tipo de música, mas espiem a letra, estão homenageando nossos Heróis, e tem paranaense herói da Força Expedicionária Brasileira. Isto feito por estrangeiros. Aos nossos COBRAS FUMANTES, meu Respeito, são HERÓIS. E, para entender o post, veja este vídeo https://youtu.be/JkwraWNybXk

 

Cobras Fumantes ( Banda Sabaton)

Nos lembramos, sem rendição
Os heróis de nosso século

Três homens aguentaram fortes, e eles resistiram por muito tempo
Indo para a luta, para a morte que os espera
Louco ou corajoso, isso vai acabar na sepultura?
Como eles estão dando suas vidas
Como suas doutrinas da honra

Longe, longe de casa, para uma guerra
Batalhada em solo estrangeiro e
Longe, longe do conhecido, diga seu conto
Sua história esquecida
Cobras fumantes, Eterna é Sua vitória!

Levantem-se a partir do sangue dos seus heróis
Vocês, foram os únicos que se recusaram a se render
Os três, preferiram morrer do que fugir
Saibam que a sua memória
Será cantada por um século

Três tomaram o golpe, enquanto impressionavam o seu inimigo
Jogando dados, com suas vidas
Como eles estão pagando o preço
Enviado para levantar o inferno, ouvir o toque dos sinos
Ele está chamando por você enquanto a Wehrmacht marcha

Longe, longe de casa, para uma guerra
Batalhada em solo estrangeiro e
Longe, longe do conhecido, diga seu conto
Sua história esquecida
Cobras fumantes, Eterna é Sua vitória!

Levantem-se a partir do sangue dos seus heróis
Vocês, foram os únicos que se recusaram a se render
Os três, preferiram morrer do que fugir
Saibam que a sua memória
Será cantada por um século

Enviado a alto mar para ser lançado ao fogo
Lutaram por um propósito com orgulho e desejo
O sangue dos bravos que dariam para inspirar
Cobras fumantes, sua memória vive!

Enviado a alto mar para ser lançado ao fogo
Lutaram por um propósito com orgulho e desejo
O sangue dos bravos que dariam para inspirar
Cobras fumantes, sua memória vive!

Cobras fumantes, Eterna é Sua vitória!

Levantem-se a partir do sangue dos seus heróis
Vocês, foram os únicos que se recusaram a se render
Os três, preferiram morrer do que fugir
Saibam que a sua memória
Será cantada por um século

Nos lembramos, sem rendição
Os heróis de nosso século
Os heróis de nosso século

Foto do Dia

Gomes   2 de novembro de 2016   Nenhum comentário em Foto do Dia

Hoje, dia de finados.  Não acredito que os mortos morem no cemitério, lá estão apenas os restos dos corpos que um dia os seres amados usaram.  Lembro da Amada, minha Doçura, ela foi para Deus e para seus antepassados, não está lá.  “Ah mas vc acredita que ela vá lá?”  Olha, conhecendo a Lúcia como eu conheci, jamais iria lá, não tem nada dela lá, só os restos do corpo que um dia usou, como a gente troca de roupa, não fica visitando a roupa que deixou. É nisso que eu acredito.  Os que já se foram para o Eterno, se vem ao mundo, vem para visitar quem amou quando por aqui esteve. Pronto.  No caso da Lúcia, ela pode ter vindo me ver, as vezes sinto perfume, um ventinho com o perfume que ela usava e gostava, as vezes um leve sussurro, palavras soltas.  Ela pode ir ver a irmã agg, e os sobrinhos, e o filho, talvez.

Tenho receios que a Hostinger tire meu blog do ar, já que eu não estou pagando né, puxa vou ver se consigo fazer backup do blog.

IMG_20161102_092257288Bom, o post é sobre a Foto do Dia, e eu tirei uma foto de um vegetal, me mostrando sua resiliência, me mostrando que eu também posso sair da sarjeta, que eu posso ainda ser produtivo e, principalmente, ganhar dinheiro.  Nossa como estou precisando de dinheiro.  Fui taxado de ter o dinheiro como deus, mas não, eu só preciso, porque é essencial para viver.  Tenho minhas coisinhas para pagar, não é só comida e moradia.

Uma plantinha me mostrando como sair do bueiro.  Eu deveria ter cortado esta imagem, mas ficou no original,

Estou aqui editando meus sites, publicando este post no Blog Janela Aberta e bebendo minha
Piwo.  Cerveja em polonês.  Cerveja caseira IMG_20161102_180348044no caso, feita pela minha mãe, D. Leonor.

Uma delícia, Saúde para mim e para minha mãe.  Aqui, minha cerveja e minha mesa de trabalho, com meu notebook aberto em Janela Aberta.   Para mim, L’Chain !!!

Sou um Estrangeiro neste Mundo

Sim, eu me sinto como um estrangeiro, um alienígena.  Não é fácil ser eu, sou sentimento puro. Mas a realidade anda muito dura, sabia.  Lei de Murphy, aliás já disse isso em post passado.  Aproveitando o gancho do título, e é claro que vou colocar aqui uma pedaço da obra de um escritor genial, Gibran Khalil Gibran, chamada O Profeta, e este trecho do livro, aliás tenho dois, só porque gostei da capa do mais novo por isso o comprei, então este trecho chama-se justamente Sou um Estrangeiro neste Mundo.  Eu sou mesmo um cara muito estranho, eu vejo coisas que não existem, ouço vozes, de gente viva e morta e também de quem, pela voz, não sei a quem pertence ou seja, talvez eu nem conheça a pessoa.   Estes dias estava lavando a louça, sim homens que moram sozinhos lavam sua própria louça, escutei minha amada, já falecida, falando assim: “Mas você vai limpar com este pano de prato sujo? pega um limpo, Amor.”  Imagine, não eu não gelei, porque isso já é normal para mim.  Outra, desta vez de pessoa viva, Graças a Deus, minha mãe, sim também ouvi ela falando comigo:  “Filho, isso não vai ficar bom, coloca mais um pouquinho de açúcar.”  É assim.  E eu já parei em um banco lá na Praça Rui Barbosa, em Curitiba.  Fiquei olhando as pessoas passarem, e vi uma moça, muito bonita aliás, ao longe mas não vinha em minha direção, eu fixei os olhos físicos e espirituais nela, “falando em pensamento” para ela vir até mim.   E ela veio e parou na minha frente, e falou: Nossa, saí do meu caminho, por um momento fiquei fora de mim, eu ia para lá (apontando o outro lado), mas que horas são?”   É assim.   Tenho muitas histórias para contar, talvez em outra hora.    Agora, vou colocar meu sentimento aqui para as pessoas lerem, são sentimentos expressos pelo genial Gibran, que como não tenho dom literário tomo agora:

Sou um Estrangeiro neste Mundo

Sou um estrangeiro, e há na vida do estrangeiro uma solidão pesada e um isolamento doloroso. Sou assim levado a pensar sempre numa pátria encantada que não conheço, e a sonhar com os sortilégios de uma terra longínqua que nunca visitei.

Sou um estrangeiro para meus parentes e amigos. Quando encontro um deles, penso:
“Quem é ele? Onde o encontrei? Que me une a ele? Por que me aproximo dele e o frequento?”

Sou um estrangeiro para minha alma. Quando minha língua fala, meu ouvido estranha-lhe a voz. Quando meu Eu interior ri ou chora, ou se entusiasma, ou treme, meu outro Eu estranha o que ouve e vê, e minha alma interroga minha alma. Mas permaneço desconhecido e oculto, velado pelo nevoeiro, envolto no silêncio.

Sou um estrangeiro para o meu corpo. Todas as vezes que me olho num espelho, vejo no meu rosto algo que minha alma não sente, e percebo nos meus olhos algo que minhas profundezas não reconhecem.

Quando caminho nas ruas da cidade, os meninos me seguem, gritando: “Eis o cego, demos-lhe um cajado que o ajude.” Fujo deles. Mas encontro outro grupo de raparigas que me seguram pelas abas da roupa, dizendo: “É surdo como uma pedra. Enchamos seus ouvidos com canções de amor e desejo.” Deixo-as, correndo. Depois, encontro um grupo de homens que me cercam, dizendo: “É mudo como um túmulo, vamos endireitar-lhe a língua.” Fujo deles com medo. E encontro um grupo de velhos que apontam para mim com dedos trêmulos, dizendo: “É um louco que perdeu a razão ao freqüentar as fadas e os feiticeiros.”

Sou um estrangeiro, e já percorri o mundo do Oriente ao Ocidente sem encontrar minha terra natal, nem quem me conheça ou se lembre de mim.

Acordo pela manhã, e acho-me prisioneiro num antro escuro, frequentado por cobras e insetos. Se sair à luz, a sombra do meu corpo me segue, e as sombras de minha alma ma precedem, levando-me aonde não sei, oferecendo-me coisas de que não preciso, procurando algo que não entendo. E quando chega a noite, volta para casa e deito-me numa cama feita de plumas de avestruz e de espinhos dos campos.

Idéias estranhas atormentam minha mente, e inclinações diversas, perturbadoras, alegres, dolorosas, agradáveis. À meia-noite, assaltam-me fantasmas de tempos idos. E almas de nações esquecidas me fitam. Interrogo-as, recebendo por toda a resposta um sorriso. Quando procuro segura-las, fogem de mim e desvanecem-se como fumaça.

Sou um estrangeiro neste mundo. Sou um estrangeiro, e não há no mundo quem conheça uma única palavra do idioma da minha alma.

Caminho pela selva inabitada, e vejo os rios correrem e subirem do fundo do vale ao cume da montanha. E vejo as árvores desnudas se cobrirem de folhas, e florirem, e frutificarem, e perderem suas folhas num só minuto. Depois, suas ramas caem no chão e se transformam em cobras pintalgadas.

E as aves do céu voam, pousam, cantam gorjeiam e depois param, abrem as asas e viram mulheres nuas, de cabelo solto e pescoços esticados. E olham para mim com sensualidade. E estendem suas mãos brancas e perfumadas. Mas, de repente, estremecem e somem como nuvens, deixando o eco de risos irônicos.

Sou um estrangeiro neste mundo.

Sou um poeta que põe em prosa o que a vida põe em verso, e em versos o que a vida põe em prosa. Por isto, permanecerei um estrangeiro até que a morte me rapte e me leve para minha pátria.

BLOG JANELA ABERTA

O Blog Janela Aberta é gentilmente hospedado por Hostinger clique aqui para saber mais


Outra paixão

Gomes   24 de outubro de 2016   1 comentário em Outra paixão

Escrevendo novamente neste blog, aqui vou deixando meus sentimentos, um pouco de mim. Agora são trinta e tres minutos do dia 24 de Outubro de 2016, hoje meus amigos vão depor na Previdência Social em São Paulo, para que eu possa ser pensionista. Orando para dar tudo certo, estou mesmo precisando de uma ajudinha, por falar nisso, se quiser contribuir com o blog é só enviar uma mensagem ou então, vai na página O Pires na Mão, basta clicar.

Mas este post é para falar de outra paixão, claro, já falei de meus cachorros, de whisky e de charutos, afora meus cachorrinhos Harley e Geada, whisky e charutos não fazem atualmente, parte de minha vida, claro, por motivos financeiros. Minha outra paixão é boa música, já viu os Sons do Blog? não? então clica aqui, e uma delas é sem dúvida uma versátil, inteligente, poliglota e linda mulher, mesmo aos oitenta e poucos anos, Nana Mouskouri, sou apaixonado por esta mulher, esta artista.

Nana Mouskouri, linda, beautiful, não importa a idade, sempre será uma linda mulher e grande, muito grande cantora.  Vejam estas facetas:

Nana1 nana2

Que importa a idade? Sempre linda e dona de uma bela e angelical voz.
Não vou colocar um vídeo, porque estou ocupando muito espaço no servidor e tenho receios que o blog trave, mas neste vídeo Nana canta em português, Liberdade, canção baseada na obra Nabuco do Grandessíssimo GIUSEPPE VERDI.
Enjoy.

https://youtu.be/2dq8gt8WtNw

Quer assistir à música Canta Canta minha Gente, do Martinho da Vila, cantada em Alemão? é uma versão, ficou muito interessante, clica

https://youtu.be/ilNyowiU9R4?list=PLm8jS_w5iDGB4HMESQOQlitza4gS6PE6C

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre, a seguir:
Nana Mouskouri
Nάνα Μούσχουρη

Mouskouri em 2012.

Iōánna Moúschouri (em grego: Ιωάννα Μούσχουρη; Chania, Ilha de Creta, 13 de outubro de 1934), mundialmente conhecida como Nana Mouskouri (Nάνα Μούσχουρη), é uma cantora, ativista política e pacifistagrega. Foi deputada da Grécia no Parlamento Europeu, de 1994 a 1999, através do Nova Democracia, o principal partido político de centro-direita de seu país. Desde a infância é chamada pela alcunha de “Nána” pelos seus familiares e amigos.

Famosa e consagrada no mundo todo, Nana tornou-se uma das cantoras com maior número de vendas em toda a história da música, com mais de 350 milhões de cópias vendidas.[1] Conhecedora de várias línguas, ela gravou mais de 1500 canções em mais de 15 idiomas, incluindo grego, francês, inglês, alemão, neerlandês (holandês), italiano, espanhol, português, hebraico,galês, mandarim (chinês), japonês, corso e turco. Em dueto com o cantor e compositor Martinho da Vila, Nana gravou a canção Canta, Canta, Minha Gente, um dos grandes sucessos do músico brasileiro, que ela também já havia interpretado em outros idiomas.

Nióbio, a polêmica persistente. Para onde vai?

Hoje o Facebook mostrou um post que fiz quatro anos atrás, sobre o Nióbio e resolvi trazer para um post no Blog Janela Aberta, dada a importância do tema.

O Brasil detém 98% das reservas conhecidas de Nióbio do mundo e querem saber de uma coincidência? O nióbio é um elemento químico, de símbolo Nb, número atômico 41 (41 prótons e 41 elétrons) e massa atómica 92,9 u. É um elemento de transição pertencente ao grupo 5 ou VB da classificação periódica dos elementos. O nome deriva da deusa grega Níobe, filha de Tântalo — que por sua vez deu nome a outro elemento da família 5B, o tântalo. É usado principalmente em ligas de aço para a produção de tubos condutores de fluidos. Em condições normais, é sólido. Foi descoberto em 1801 pelo inglês Charles Hatchett.

Detentor de 98% de todo o Nióbio do mundo o Brasil é vem sendo durante anos e décadas espoliado por mineradoras à revelia (mesmo, será? ainda sem confirmação, há suspeita que Lula está envolvido) do governo que mesmo sabendo do alto valor desse metal o vende a preço de banana para o mercado internacional.

Alguém lembra do Dr. Enéas? “meu nome é Enéas” já alertava sobre o “roubo” desta riqueza brasileira, que poderia mudar totalmente, e para melhor, a vida dos cidadãos brasileiros.

Trecho do Hangout com o Dr. Ribas Paiva (assista ao vídeo) que denuncia não só o sub-faturamento do nosso Nióbio, um dos minerais mais importantes do mundo, como também seu contrabando (1 bilhão por dia roubados) feito na cara do povo brasileiro com a compactuação do Governo. Este é um dos maiores roubos da história, chegando a marca de trilhões de dólares surrupiados pelos globalistas que oferecem seu “apoio internacional” aos políticos brasileiros.

O site WikiLeaks divulgou no dia 6 de dezembro de 2010 uma lista secreta de locais estratégicos para os EUA que incluem cabos submarinos e jazidas de nióbio e manganês no Brasil. Um telegrama diplomático de 2009 pede às missões do país pelo exterior que atualizem uma lista de infraestrutura e recursos pelo mundo “cuja perda poderia impactar criticamente a saúde pública, a segurança econômica e/ou a segurança interna dos EUA”.
Wikileaks divulga “documentos secretos” revelando a compra estrangeira da “Maior riqueza do Brasil”
A dependência de nióbio é causa de preocupação em Washington e as denúncias do Wikileaks.
Brasil é responsável por 87% das importações americanas do minério – usado até mesmo em projetos espaciais
A grande dependência do nióbio brasileiro deve explicar, segundo especialistas, a preocupação do governo
dos Estados Unidos com relação à segurança das minas do País. O Brasil detém 98% das reservas e 91% da produção mundial do minério, usado para a fabricação de aços especiais.Os Estados Unidos não produzem o minério.
Relatório anual do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) aponta que o Brasil tem reservas de 2,9 milhões de toneladas de nióbio, com uma produção acumulada de 57 mil toneladas em 2009. O País foi responsável, no ano passado, por 87% das importações americanas do mineral.
O documento indica que a maior economia do mundo continuará dependente do nióbio brasileiro. “As reservas domésticas (dos Estados Unidos) de nióbio têm baixa qualidade, algumas complexas do ponto de vista geológico, e muitas não são comercialmente recuperáveis”, diz o texto, publicado em janeiro. Segunda maior reserva, o Canadá é responsável por apenas 7% da produção mundial.
Procuradas pelo Estado, as empresas responsáveis pelas minas citadas no documento divulgado pela WikiLeaks não se pronunciaram sobre o assunto. A CBMM, do grupo Moreira Salles, e a Anglo American são as duas grandes produtoras de nióbio no País, operadoras das minas de Araxá e de Goiás, respectivamente.
A lista divulgada pela WikiLeaks inclui a produção de minério de ferro pela “mina Rio Tinto”, que não tem mais ativos brasileiros nesse segmento. A companhia operava uma mina em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, que foi vendida à Vale do Rio Doce. Nenhuma das empresas comentou a inclusão do projeto na lista.

Recentemente, em sua primeira viagem como Presidente da República, Michel Temer foi à China, e oferece o que?  e secretamente?  NIÓBIO.

Sem comprovação ainda, mas circula a informação que o ex-Presidente Lula detém uma mina de Nióbio.  Se for verdade, é muito grave.  Tem muitos vídeos no Youtube, pesquise.  Certamente ficará estarrecido.  Vamos divulgar e o Ministério Público e Autoridades Competentes devem ir atrás disso e também, para onde vai o NOSSO NIÓBIO, e porque está sendo VENDIDO À PREÇO DE BANANA, LESANDO O NOSSO BRASIL.

Links para pesquisa (recomendo o vídeo com o Dr. Enéas, prestem atenção.

 

janelaaberta

BLOG JANELA ABERTA

O Blog Janela Aberta é gentilmente hospedado por Hostinger clique aqui para saber mais

Mais uma, hoje é hoje

Gomes   27 de setembro de 2016   Nenhum comentário em Mais uma, hoje é hoje

Canção  (Cecília Meireles)
      Não te fies do tempo nem da eternidade,
que as nuvens me puxam pelos vestidos,
que os ventos me arrastam contra o meu desejo!
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te vejo!

Não demores tão longe, em lugar tão secreto,
nácar de silêncio que o mar comprime,
ó lábio, limite do instante absoluto!
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te escuto!

Aparece-me agora, que ainda reconheço
a anêmona aberta na tua face
e em redor dos muros o vento inimigo…
apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te digo…

 

janelaaberta

BLOG JANELA ABERTA

O Blog Janela Aberta é gentilmente hospedado por Hostinger clique aqui para saber mais

Quando vier a Primavera

Gomes   27 de setembro de 2016   1 comentário em Quando vier a Primavera

Queridos visitantes, qualquer palavra ou introdução ao texto é ficar na penumbra dada a maravilhosa descrição da efemeridade do ciclo da Vida, com vcs Fernando Pessoa, por um de seus heteronomios:

Quando vier a Primavera, Se eu já estiver morto,
As flores florirão da mesma maneira
E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada.
A realidade não precisa de mim.
Sinto uma alegria enorme
Ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma
Se soubesse que amanhã morria
E a Primavera era depois de amanhã,
Morreria contente, porque ela era depois de amanhã.
Se esse é o seu tempo, quando havia ela de vir senão no seu tempo?
Gosto que tudo seja real e que tudo esteja certo;
E gosto porque assim seria, mesmo que eu não gostasse.
Por isso, se morrer agora, morro contente,
Porque tudo é real e tudo está certo.
Podem rezar latim sobre o meu caixão, se quiserem.
Se quiserem, podem dançar e cantar à roda dele.
Não tenho preferências para quando já não puder ter preferências.
O que for, quando for, é que será o que é.

Alberto Caeiro, in “Poemas Inconjuntos”
Heteronomio de Fernando Pessoa

janelaaberta

BLOG JANELA ABERTA

O Blog Janela Aberta é gentilmente hospedado por Hostinger clique aqui para saber mais